segunda-feira, abril 18, 2011

E.

Sorte tem os gêmeos. Nasceram acompanhados.

Somos sozinhos, – assim nascemos. Sozinhos e inteiros. Durante a nossa vida, tudo aquilo que sentimos é nosso: alegria, dor, desejo, medo... É nosso porque só nós podemos sentir. Não precisamos do corpo de outra pessoa para respirar. Então, não importa o quão teu coração foi ferido, – a vida continua. (...) Devemos aprender que não importa se as ações foram feitas num projeto de união: eu e você juntos. O resultado delas é o mesmo: o que você irá sentir, e o que o próximo sentirá. (...) Se fossemos um todo, nasceríamos grudados.

Mas há uma grande diferença em ser e estar. Somos sozinhos, e estamos... sozinhos. Ser é fardo, estar é opcional. A solidão pode ser preenchida. A dica: Abra os olhos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário