segunda-feira, agosto 29, 2011

IF YOU ARE LIVING.

Terra dos Sonhos, 28/14/20.019.

"Aqui não tem data, aqui não tem cor. Aqui só existe e faz sentido o que você quer."

– Não quero isto. Não vou lhe fazer mal...
– Eu sei que não age de má fé. – Mas até as boas intenções, quando não pensadas, podem se tornar más intenções. – Você deveria ter pensado em como seria depois, depois do impulso, da boa fé.

Ora, desculpe-me as grosserias e o mau jeito. Eu quero, mas não posso ficar falando tudo o que sinto. Ainda há algo que prende as minhas palavras todas as vezes que olho em teus olhos. Desculpe a novela mexicana e, desculpe, por não adoçar o café. Eu sou mesmo um drama. E foi mesmo doloroso tudo que passei. Mas, valeu. Valeu à pena, a galinha, e a refeição. Não sei se já estou satisfeita, mas já digeri as mentiras e todas as lições.
Arthur, faça-me o favor de não abrir os teus sentimentos. Feche-os. Eu ainda tenho pra mim que eles são meus. Não quero que os dê para outra tão cedo. E, se der, disfarce.
Abrigue as lacunas de dor em qualquer local longe do teu coração. Não fique remoendo os erros, nem as dores. Deixe para trás todas as angústias. Libere o teu espírito das cinzas e siga em frente. Siga em frente. O ponto importante é seguir. A direção se arruma conforme o número de passos. O segredo é caminhar. Caminhar com fé, e não com a ponta dos dedos dos pés.
Se a dor vier, chute-a. Se o cavalo lhe derrubar, monte em cima dele outra vez e mostre lá quem manda. Você não sabe ainda, mas você nasceu para vencer. Conquiste os sete mares e os quatro continentes. Deixe o vento lhe levar por este mundo e descubra os deveres de cada um dos povos. Você tem memória boa, vai saber o que fazer com as tuas regras e lições.
Ocupe-se em ser livre, mas não esqueça que todo ser humano deve ter um limite. Desgrude-se do mal e dos vícios. Faça você mandar em você. Faça você mandar em sua história. Faça você o seu caminho. – Se tu te prendes em desejos, não alcança as tuas vontades. – Vença os obstáculos. Eu quero ver-lhe subir o primeiro lugar do pódio.
Se eu não estiver ao teu lado, Arthur. Saiba que eu torci para que isto acontecesse. – Isto. Esta conquista. Qualquer conquista. – Sabe do que eu falo? Eu falo que, Cada momento em que um sorriso se abre, é uma vitória. Cada vez que se fecha os olhos e o coração está tranqüilo, é uma vitória. Cada vez que se olha para o lado e há alguém para segurar-lhe a mão, é uma vitória. – Amor é uma vitória. Ganhe! – Mas ninguém vive só de amor. Lute!
A guerra humana é uma luta sem fim. Se há fim, é morte. – Se o fim existir, iremos morrer. – O ser humano morre várias vezes dentro de si. Morre de amor, de dor, de loucura, de culpa e de ansiedade. Morra quantas vezes achar necessário. – Eu vejo a vida lhe preparando tempestades. Os importunos vão lhe sufocar algumas vezes. Eu sei que vai doer durante o fracasso, e sei que doerá mais ainda quando o mesmo fracasso acontecer duas vezes, três vezes, quatro vezes... Isto irá acontecer. Morra! Mas levante-se do túmulo de cabeça erguida. Comece outra vez. Insista. – Você é uma boa pessoa.
Você é responsável por tudo que entra e sai da sua vida. Determine tudo àquilo que deverá ficar nela. – Se o mundo lhe mandar parar, diga que você tem muito o que continuar por aqui. – Se a vida contrariar suas idéias, repense suas atitudes. E se você precisar se afastar de tudo por um tempo, afaste-se. Mas não demore até que tudo mude.
Tudo bem, a mudança a necessária. Mas não deixe a vida decidir por você. – Você deverá ser dono da sua história, lembra? Pois faça.
Escreva o capítulo do dia seguinte em seu diário, não fique escrevendo só o que aconteceu ontem. Ainda não é a hora de viver só por viver. Você não pode desanimar. – Continue...
Você não estará sozinho, enquanto me permitir estar por perto. Isto posso lhe garantir. – Mas, se por ventura, eu for embora. Eu posso cantar por aí que lhe restam grandes amigos e uma boa família.
No fundo, é só disso que você precisará para seguir em frente: de gente que lhe ama de verdade. Quem lhe amará mais do que seu pai, mãe e irmão? Vai lá! Eles lhe acolherão em momentos de frio e lhe enxergarão mesmo que tudo esteja escuro.
E quando a música tocar, dance. Mas se os ouvidos parecem surdos... é hora de limpar a alma. Outra vez.

Vamos lá, Arthur.
Eu sei que você consegue.
Eu ainda confio em você.

Us all to be Arthur.

Nenhum comentário:

Postar um comentário