quarta-feira, setembro 07, 2011

CHANGE.

Mudanças. – Bem, elas nem sempre são tirar os móveis do lugar. Há mudança de alma também.

Deus está sempre ali mostrando que quando eu menos esperar a vida irá me surpreender. Porque, bem, eu não sei se é Ele que constrói detalhe por detalhe de tudo que acontece em meus dias, mas eu sei que Ele me protege do mal e isto já me acalma.
Porque é ali, quando você não pretende mais nada, que aparece alguém e pimba! Bateu! E mesmo que não seja nada, é como se o pouco que foi ficasse em você. É como se aquele pequeno imprevisto do destino pudesse te fazer olhar a vida de outra maneira. E para isto não é preciso milhares de palavras ou muitos dias juntos, precisa-se apenas um olhar diferente e um ponto de vista, que lhe faça abrir os olhos.
Quando parei e pensei: “Tinha de ser esta pessoa?”. Pois ali seria a pessoa mais estranha ou mais impensada para dizer aquilo que precisei escutar. É quando eu sei que é Deus vindo de alguma maneira, conversar comigo, e dizer: “enxerga, para de ser cabeça dura, eu preciso que você vá por este caminho”.
E é assim que é. Eu acredito que Ele vem aparecendo nas pequenas coisas, em pessoas diferentes, me jogando frases e cantando um destino à mim. Quando estou cega demais, ele me faz bater com a cara no poste e lavar os olhos. – Então, aos poucos, eu me torno cada vez mais aquilo que eu serei. Que eu sou.
É claro que eu sinto falta de alguém ao meu lado, para dividir minha vida, para ganhar um abraço, para trocar carinhos. Mas conforme a vida foi-se indo, e o tempo foi passando... Eu descobri que eu gosto desta solidão. Mas, não, calma aí! Não é esta solidão escura e vazia. Eu gosto desta solidão tranquila, deste coração desocupado, deste caminho sem rumo, deste vento que vai me levar pra qualquer lugar. Eu gosto deste despropósito. E eu comecei a admirar a independência que eu quero e que caminho à ter. – Liberdade. Não acredito que ela exista, mas é assim que eu me sinto.
As pessoas poderão achar que eu estou ficando maluca. Mas quem eu engano? Elas já acham... Agora que está tudo caminho para dar certo, eu jogo tudo pro ar. – O que elas estavam esperando de mim? – Eu sempre fui estes desejos, estes quereres, esta rodovia calejada e vazia. O que acontece é que, hoje, eu sou muito mais.
Acontece que eu coloquei em prática tudo aquilo que eu escrevi e cuidei de usar cada tombo a meu favor. Cuidei de curar os machucados, mas enquanto curava, os estudei. E fiz da dor um aprendizado, do aprendizado um consolo, do consolo fiz conselhos, dos conselhos me reconstruí. Reconstruída, me tornei algo. – E eu não quero definir o que é. Só quero ser.
“Ser” o verbo que mais mexe comigo. Algum dia eu lhes contei que existem palavras que quando as escrevo é como se elas desvendassem minha vida? Palavras simples que levam algum sentimento. São códigos, metáforas, manias de Gabriella.
Vocês também têm isto de, quando ansiosos ficarem andando pela casa e falando sozinhos? Eu faço isto o tempo todo. Eu falo sozinha o tempo todo. Eu sonho o tempo todo. E eu escrevo dentro de mim o tempo todo. – Sem parar.
Eu posso não estar me mexendo, mas eu não estou parada. Estou apenas sentada vendo o movimento, e eu adoro vê-lo.
Eu já não me importo com o que as pessoas pensam. Eu conheço meus limites. Fiz minhas regras. E agora é tempo de fazer a minha vida.
Estou livre, mas cheia de amor. E agora tanto faz. Eu sei que a vida trata de me juntar à você.

Porque eu não seria metade do que eu sou sem você. Porque eu vivo de palavras, e você me trás elas, mesmo que sem querer. – Você é a minha história. – I just had to let it go.

Um comentário:

  1. vc que está sempre mudando. ou que cada vez se torna mais o que vc é. e que fica mais charmosa e linda. e me encanta por ser mulher disfarçada de menina... seja livre! só uma prisão grandiosa merece um pássaro como vc na gaiola. e eu nunca vi nada que pudesse te prender. continua a escrever... voa longe passarinho!

    ResponderExcluir