segunda-feira, setembro 05, 2011

Quando sufoca, eu não posso manter-me quieta.

Tu já deves ter percebido todas as confusões de minhas palavras, – eu quero ser direta, mas não posso. Eu não sou a pessoa que tu achas que eu sou. Está doendo cada erro e cada mentira. Não existem pessoas perfeitas. Não sobrou-me muita coisa além de um mundo falso e egoísta. Eu sou ruim. Eu quero, em todos os momentos, ser melhor que você. E chegou a hora de admitir que você é uma boa pessoa. 
Eu te perdôo por cada deslize. E peço que não descubra os meus disfarces. – Eu não sei como implorar para que tu fiques ao meu lado. – Eu não sou gentil. Mas todas as noites eu rezo para que Ele possa lhe colocar no meu caminho. Todas as noites eu peço: “deixa eu fazê-lo feliz?”. Será que Ele irá atender minhas preces algum dia? 
Porque eu não posso pedir isto para você. Eu não posso competir com ela. Ela está ao seu lado, ela vai ganhar o seu amor, e eu – novamente – terei que aceitar que nossos destinos são paralelos. Mas como? É como se eu devesse apagar tudo da memória. E eu tento. Juro que tento jogar tudo fora. Juro que eu já queimei tudo o que eu poderia, mas persiste, insiste, ainda está aqui dentro de mim. 
Eu queria olhar em seus olhos e dizer: “ – não vai, fica, não me deixa outra vez”. Eu queria ser verdadeira e dizer: “ – eu tenho um sonho, meu sonho é ser, estar, permanecer e continuar com você”. Eu queria agir conforme eu sinto, mas eu faço conforme as pessoas dizem. Eu queria me entregar aos sonhos, mas eu me entrego conforme acho que você vai querer. – Você gosta mesmo de todas estas barreiras? 
Não pode ser mais real? Não pode ser mais limpo e verdadeiro? O problema sou eu? Eu tenho medo de lhe decepcionar. Eu tenho medo de dar um passo para frente, e você não estar de acordo. Eu tenho medo de ser humilhada, rejeitada, de me sentir uma pedra no seu sapato – outra vez. 
Eu me controlo, mas eu não quero me controlar. – Faz mesmo sentido todos estes limites? – O amor tem regras? Quem colocou regras no amor? Por que nós temos que nos esconder se o sol brilha lá fora? Por que não pode ser real, tão real como qualquer outro? – Não deve ser amor. 
Amor é quando perdemos o medo. É entrelaçar as mãos e esquecer do resto. Amor é sinônimo de entrega. E aquelas definições que nós causamos, só nos fazem mal. 
O que eu devo fazer? Eu não estou preparada para seguir sozinha. Todo mundo precisa de um alicerce. Todos nós temos momentos de fraqueza. Eu não quero rasgar os panos como se eu fosse única no mundo. Preciso de alguém que me ofereça um lenço mesmo que as lágrimas não caiam. – Ela só está tampando os seus buracos, como eu já os tampei um dia. 
Eu também sou esta garrafa vazia e com furos. Nunca estou cheia. Você não pode me encher de liquido, porque meus furos irão trapacear. Eu estou sempre vazando... Eu não sei o que acontece depois. 
Me explique por onde começar. Qual o começo? Como ter o seu amor por inteiro? Eu preciso ter. Você não entende. Não é tão fácil quanto parece. Eu não posso lhe implorar isto, porque já doeu uma vez. – Devo abrir o que eu sinto pra você. 
Enquanto ausente, eu conheci quem eu sou. Obrigada por ter ido embora. Mas não se vá outra vez... Eu sinto que ainda há muito sobre nós. Eu sei que não acabou. E eu não quero que acabe nunca. 
Deixa esta história do “para sempre não existe” ir embora. Eu quero construir um futuro ao seu lado. Esqueça que você não foi feito para mim. Duas peças do quebra-cabeça só se encaixam se elas forem diferentes. Nós não somos iguais. – Eu preciso de você aqui. 

Todas as vezes que você se sentir triste. Não importará o motivo. Poderá ser por uma briga com sua família, um problema no trabalho, a faculdade que vai mal, ou uma briga com ela... Não importa. Só prometa que vai me procurar. Não precisa contar o que aconteceu se não quiser. Só prometa: Vai me procurar. Vai me ligar, vai me escrever, vai vir até minha casa, e mesmo que eu não possa fazer nada, eu quero poder dizer que vai dar tudo certo

Prometa. 

A minha esperança não morreu. Eu olho para você e eu sei: você estará sempre comigo, dentro de mim.